Gravação do clipe “A mãe de um amigo meu”

É tão bom quando realizamos um sonho. Melhor ainda é quando vamos além desse sonho e conquistamos aquilo que outrora jamais havíamos imaginado. Esse fim de semana foi mais ou menos assim. Eu que estive sempre nos palcos e diante das lentes, troquei de lugar, fui para trás delas, foi a vez de usar minha experiência no teatro na direção. Durante o fim de semana, gravamos o primeiro clipe da dupla sertaneja Wagner Dias e Michel, e também o primeiro clipe com roteiro e direção sob minha responsabilidade.

Caí de cara num clipe que vai ganhar proporção nacional fácil fácil, com participação de gente conhecida na Tv e na Internet e com apoio de grandes nomes da música sertaneja.

Foi uma alegria imensa ver esse trabalho se concretizando. Agradeço demais a confiança dos meninos da dupla, Michel, Sadia, Rob, Junior, Leo e também o convite do Caíque, que numa conversa aleatória, disse que havia escrito um roteiro para outra banda, de amigos nossos, e ele acabou me oferecendo a oportunidade de escrever o roteiro do clipe da dupla.

Além disso, foi uma experiência incrível. Pude aprender demais com os amigos da Ibelin produtora, toda a experiência do Robinho só veio para acrescentar e me fazer aprender muito!

Não posso deixar de agradecer os atores, o Gui, um amigo que topou meu convite para gravar na hora e surpreendeu! A Karine, de um profissionalismo impecável. O Yudi, Mc Maloka, Malokinha, agregaram demais e me divertiram mais ainda. Valeu! A todas as meninas que toparam participar. Ao Matheus Viggiano pela casa emprestada e companhia o dia todo. João Vitor, Du, Wesley, Leo, Pedrinho, Renan e Renato Sampaio, pela presença e força!

Confiram as fotos desse dia exaustivo, de muito trabalho, mas incrível!

Em breve vocês poderão curtir o resultado desse trabalho, enquanto isso, vai conhecendo a música e curtindo a fan page da dupla.

Eu sei que ainda estamos longe do fim

Então vamos viver, um dia a gente se encontra…

Assisti esse clipe umas 5 vezes antes de começar a escrever. Meus olhos encheram de lágrimas e um nó se formou na minha garganta em todas elas. De começo, achei que não haveriam palavras para descrever o clipe, a emoção que ele foi capaz de transmitir aos fãs e aos admiradores do CBJr e da música brasileira. Depois uma infinidade de palavras começaram a surgir em minha mente!

Todas elas resumem-se numa só: amor! Amor de fã, amor de amigos, amor filial. Amor de quem a música fez irmãos, amor de quem o destino uniu, amor de quem mesmo sem conhecer o Chorão na intimidade, sentia-se brother!

Todos nós sabemos os caminhos que levaram ao adeus eterno do Chorão. Ele andou por ruas desertas, passando por conflitos internos, vivendo um sonho que não era só dele. A música fala tudo isso. A solidão que ele enfrentou, jamais entenderemos. Os motivos que o levaram a cair na dependência, estão hoje enterrados.

Quem somos nós para julgar? Não somos ninguém para falar a cerca do sofrimento do outro. Tem muita gente se achando bom e sendo pior que muitos outros tantos. Tem muita gente falando palavras bonitas, estando vazio por dentro. O clipe mostra um Chorão que era repleto de amigos, mas a música fala em solidão. Só nós sabemos o vazio que nos prende. Só ele sabia o dele.

É isso que deixa ainda mais triste sua partida. É isso que deixa o clipe ainda mais emocionante. Tantas pessoas o amando, tantas pessoas por ele. Tantas pessoas correndo atrás, atrás de um microfone que o Chorão deixou vazio. Pessoas que hoje fazem do Chorão presença! Fazem do seu legado eterno. Fazem da sua música boas vibrações!

Use da sua liberdade sem que ela te prenda no vazio, deixe a felicidade ser profunda. Deixe quem você ama te amar e ame também quem te ama. E viva! Viva! Viva, que essa vida é boa demais! Um dia, todos nós vamos nos encontrar, com o Chorão, com o Champignon, com o Renato, com o Raul, com o Cazuza.

Botei a música no replay e enquanto escrevia devo ter ouvido mais outras 5, 6, tantas vezes. 

Você deixou saudade! 

O poder de estar dentro de um abraço

Enquanto conversava com um amigo sobre clipes e demais produções cinematográficas, ele me perguntou se eu havia visto o novo clipe da banda Paramore, contei que eu não curtia a banda, não por motivos específicos, apenas por não simpatizar, mas assisti ao vídeo. Aos 30 segundos, minha sensação já era de surpresa boa, que produção magnífica! E ele me falava para esperar o fim, que aí passaria a gostar ainda mais do clipe, esperei e me surpreendi num misto de sensações. Sem tentar descrever a história, deixo o clipe para que vocês possam assistir e assim como eu, se emocionarem:

Após assistir, logo me veio a crônica da Martha Medeiros “Dentro de um abraço“, que inicia seu livro “Feliz por nada”:

“Onde você gostaria de estar agora, nesse exato momento?
Fico pensando nos lugares paradisíacos onde já estive, e que não me custaria nada reprisar: num determinado restaurante de uma ilha grega, em diversas praias do Brasil e do mundo, na casa de bons amigos, em algum vilarejo europeu, numa estrada bela e vazia, no meio de um show espetacular, numa sala de cinema assistindo à estréia de um filme muito esperado e, principalmente, no meu quarto e na minha cama, que nenhum hotel cinco estrelas consegue superar – a intimidade da gente é irreproduzível.
Posso também listar os lugares onde não gostaria de estar: num leito de hospital, numa fila de banco, numa reunião de condomínio, presa num elevador, em meio a um trânsito congestionado, numa cadeira de dentista.
E então? Somando os prós e os contras, as boas e más opções, onde, afinal, é o melhor lugar do mundo?
Meu palpite: dentro de um abraço.

Que lugar melhor para uma criança, para um idoso, para uma mulher apaixonada, para um adolescente com medo, para um doente, para alguém solitário? Dentro de um abraço é sempre quente, é sempre seguro. Dentro de um abraço não se ouve o tic-tac dos relógios e, se faltar luz, tanto melhor. Tudo o que você pensa e sofre, dentro de um abraço se dissolve.
Que lugar melhor para um recém-nascido, para um recém-chegado, para um recém-demitido, para um recém-contratado? Dentro de um abraço nenhuma situação é incerta, o futuro não amedronta, estacionamos confortavelmente em meio ao paraíso.

O rosto contra o peito de quem te abraça, as batidas do coração dele e as suas, o silêncio que sempre se faz durante esse envolvimento físico: nada há para se reivindicar ou agradecer, dentro de um abraço voz humana nenhuma se faz necessária, está tudo dito.

Que lugar no mundo é melhor para se estar? Na frente de uma lareira com um livro estupendo, em meio a um estádio lotado vendo seu time golear, num almoço em família onde todos estão se divertindo, num final de tarde à beira-mar, deitado num parque olhando para o céu, na cama com a pessoa que você mais ama?

Difícil bater essa última alternativa, mas onde começa o amor senão dentro do primeiro abraço? Alguns o consideram como algo sufocante, querem logo se desvencilhar dele. Até entendo que há momentos em que é preciso estar fora de alcance, livre de qualquer tentáculo. Esse desejo de se manter solto é legítimo. Mas hoje me permita não endossar manifestações de alforria.

…recomendo fazer reserva num local aconchegante e naturalmente aquecido: dentro de um abraço que te baste.”

Agora, eu lhe pergunto: já abraçou alguém hoje? Seu abraço pode valer o dia e a vida dessa pessoa! Distribua abraços e sorrisos no dia de hoje!

A força do Amor

Hoje minha manhã foi de gravação, a Céci Portugal me convidou para gravar o clipe da música “A força do Amor” do Marcio Todeschini, o roteiro é baseado numa história real e emocionante.
Gravamos a manhã toda e ainda faltam algumas gravações, logo que o clipe fique pronto eu mostro aqui para vocês!

20130311-203330.jpg
Além de gravar o clipe da música, ela me deu forças no dia de hoje, a saudade de casa apertou e a vontade de correr para o Paraná e por lá ficar gritou! Foi durante a aula, que pensando no que iria escrever sobre a gravação aqui que refleti sobre o refrão “É a força do Amor que me faz prosseguir e não desistir“! As vezes nem as palavras amigas bastam, tudo que precisamos é uma música para nos dar forças.
Faço questão de destacar esse Amor com inicial maiúscula, pois o único amor que é capaz de nos conduzir nos momentos difíceis é o nosso primeiro e maior Amor, Deus!
Não sei pelo quê vocês estão passando agora, mas que o Amor possa trazer forças para todos, assim como trouxe à mim!
Um beijo!