Gravação do clipe “A mãe de um amigo meu”

É tão bom quando realizamos um sonho. Melhor ainda é quando vamos além desse sonho e conquistamos aquilo que outrora jamais havíamos imaginado. Esse fim de semana foi mais ou menos assim. Eu que estive sempre nos palcos e diante das lentes, troquei de lugar, fui para trás delas, foi a vez de usar minha experiência no teatro na direção. Durante o fim de semana, gravamos o primeiro clipe da dupla sertaneja Wagner Dias e Michel, e também o primeiro clipe com roteiro e direção sob minha responsabilidade.

Caí de cara num clipe que vai ganhar proporção nacional fácil fácil, com participação de gente conhecida na Tv e na Internet e com apoio de grandes nomes da música sertaneja.

Foi uma alegria imensa ver esse trabalho se concretizando. Agradeço demais a confiança dos meninos da dupla, Michel, Sadia, Rob, Junior, Leo e também o convite do Caíque, que numa conversa aleatória, disse que havia escrito um roteiro para outra banda, de amigos nossos, e ele acabou me oferecendo a oportunidade de escrever o roteiro do clipe da dupla.

Além disso, foi uma experiência incrível. Pude aprender demais com os amigos da Ibelin produtora, toda a experiência do Robinho só veio para acrescentar e me fazer aprender muito!

Não posso deixar de agradecer os atores, o Gui, um amigo que topou meu convite para gravar na hora e surpreendeu! A Karine, de um profissionalismo impecável. O Yudi, Mc Maloka, Malokinha, agregaram demais e me divertiram mais ainda. Valeu! A todas as meninas que toparam participar. Ao Matheus Viggiano pela casa emprestada e companhia o dia todo. João Vitor, Du, Wesley, Leo, Pedrinho, Renan e Renato Sampaio, pela presença e força!

Confiram as fotos desse dia exaustivo, de muito trabalho, mas incrível!

Em breve vocês poderão curtir o resultado desse trabalho, enquanto isso, vai conhecendo a música e curtindo a fan page da dupla.

Anúncios

2013 de sonhos…

Em menos de um minuto, tudo passa, tudo muda. Imagina então em um ano. Cidade, estado, faculdade, profissão. Na radicalidade de cada uma dessas mudanças pude descobrir-me cada vez mais. Descobri que morar sozinha há 70 km da casa dos pais é uma coisa, há 700, é outra completamente diferente.

Descobri ao longo desse ano que os dias ruins todo mundo e todo ano tem e longe das pessoas que mais amamos, esses dias parecem se tornar ainda mais difíceis. Neles, pude provar que é a fé que nos mantém de pé. Pude encontrar pelo caminho, amigos que me fizeram sorrir nos momentos mais difíceis, um amor que foi amparo e segurança e que ao fim, tornou-se uma das minhas mais belas amizades.

Um dia desse ano, vi o céu ficar ainda mais azul e a terra silenciar sem a voz do cara que me ensinou a andar com cuidado, porque o destino brinca com as pessoas. Hoje, vejo que céu azul encheu-se de ídolos esse ano. Vi outros, literalmente, ao meu lado, conversando e brincando por horas, ao ponto de me fazer esquecer que uma hora eu fui simplesmente fã. Assisti aos melhores shows da minha vida, e foram muitos. Fiz amigos dos quais me tornei fã pela boa música e pelas letras que embalaram o segundo semestre desse ano.

2013 foi um ano feito de sonhos, sonho parece verdade quando a gente esquece de acordar. E em tantos momentos me senti adormecida. Ao ver a juventude saindo às ruas para mudar o país, ao ver a rua se encher de jovens lutando por um ideal, a geração facebook fazendo a diferença no país, pareceu um sonho para quem desde cedo questionou a política nacional. As respostas da profissão desacreditada, da menina que largou a engenharia para ser jornalista. (Jornalista? – todos perguntam) Surgiram então as primeiras entrevistas, a Jornada Mundial da Juventude, um crachá, o primeiro, que ficará emoldurado eternamente. A moda tornando-se meu trabalho, o blog que cresceu e fez surgirem oportunidades únicas. Uma sociedade, uma marca de roupas, um sonho de infância. Um clipe, algo que jamais sonhei e que hoje se tornou meu maior sonho.

Agora, me deixa falar de amor, de um jeito que só eu sei, amor foi o que eu carreguei no peito em forma de saudade. Amor, eu dediquei e muitas vezes não fui correspondida. Amor que eu tantas vezes tentei traduzir em palavras, em escritos guardados há sete chaves. Foi o ano de amar uma sementinha que pouco a pouco crescia, me fazendo deixar de ser filha única, amor por alguém que eu não via a hora de ver sorrir!

Em meio às maiores tristezas, pude perceber o quanto a vida é bonita e que se hoje eu choro, amanhã eu já volto a sorrir. E sorrir por simples motivos foi o que fez desse ano ainda mais belo, sorrir ao apreciar a beleza de um por do sol, de um céu estrelado e uma noite de lua cheia. Sorrir ouvindo a música da natureza, de uma cachoeira, dos pássaros e do vento na mata ao redor, cachoeira que se tornou refúgio, um lugar pra relaxar e pedir pros anjos cantarem por mim, um lugar em que cada mergulho levava tudo de ruim que estava carregada.

Abro os meus olhos e hoje percebo que nada foi em vão. Nesses últimos dias de 2013 só tenho a agradecer, agradecer primeiro pra depois pedir mais. Agradecer os tempos de paz, as boas vibrações, o amor partilhado, os sonhos realizados. Agradecer aos amigos que estiveram ao meu lado, aos que me apoiaram e me deram oportunidades, aos que me fizeram forte, aos que me fizeram sorrir, aos que não me deixaram deixar de sonhar. Enfim, agradecer a cada um que passou por mim nesse 2013.

Para 2014, eu escolhi ser ainda mais feliz. Escolhi sonhar, viver, sem esquecer de todo dia agradecer!

Que a esperança, industrializada em forma de tempo, possa se renovar em seu coração nesse novo ano que se inicia! Good vibrations! Seja bem-vindo 2014!

Retrospectiva 2013 – As peças que todo mundo usou

Determinada grife lança uma peça tendência, todas as famosas começam a usar, as lojas de departamento começam a imitar e no final as lojas xing-ling também. O resultado: você encontra as peças por todo lugar, pra comprar por 10 conto na feirinha de domingo, no shopping por 100 vezes mais e no corpo de todos os tipos de pessoas. 2013 foi cheio de peças assim. Eu reuni alguma delas pra lembrarmos – com humor – dessas modinhas que pegaram por aí!

Vale contabilizar quais delas você usou, assim como eu fiz e depois me contar nos comentários. Mais ainda, deixa nos comentários alguma peça que você acha que marcou 2013 e eu esqueci de colocar no post. Chega de enrolação e vamos à lista com meus comentários bááásicos:estampa mustacheEstampa Mustache
El famoso bigodon. Ele chegou e pegou, virou mania: nas camisetas, nos acessórios – anéis, colares, brincos -, até calças repletas desses bigodinhos eu cheguei a ver. Tá bom, a moda foi fofa no começo, mas depois, alguém me expliiiiiica qual a lógica de se usar uma camiseta que, literalmente,  diz “eu amo bigode”? Homens começaram a deixar bigode na expectativa de atrair tanto quanto a estampa da moda, mas o fato é que não funcionou muito não. Pra falar a verdade, homem de bigode é quase sempre zoado. Resultado é que o bigodon termina o ano com saldo positivo e até uma música pra contar história: Tu tá maluuuuuco? Respeita o moço! Patente alta, dá aula. Bigode grooosso!

Calça ListradaCalça Listrada
Tá aí uma moda que realmente pegou. Em toda loja vendeu, virou febre. Era uma daquelas tendências que se ficasse entre as grifes, tava ótimo, tudo bem, muito bom, muito chic. Mas ela chegou na feira e o resultado foi você ver aquela tia, de 180 quilos, toda trabalhada na calça listrada, uma camiseta “Fui a Salvador e lembrei-me de você” e um tênis colorido. Visããão do inferno! Saldo da calça listrada: ficou encostada no guarda-roupa depois do primeiro e único uso.

Short Saia AssimétricoShort-saia assimétrico
Uma tendência que muito me interessou quando surgiu, eu costumo fugir do jeans e esses shorts me pareciam uma gracinha. Uma gracinha se bem combinados. Por que ver gente usando esse short com camisa de futebol – e não to falando de time americano que estava na moda – e sim do Timão mesmo ou combinando com o próximo viral que vou citar, me fez enjoar! Pra finalizar, os tais shorts ganharam estampas, ficaram coloridos e aí sim acabou com a beleza da coisa de vez. Pra quem ainda achar ‘biíto’ e quiser, ali em Aparecida tá vendendo por 20 conto na feirinha, dos estampados hein?! E a tia da barraca ainda diz que é de estampa ética e que tá super na moda, a ética moda mandou lembranças! 

T-shirt Jack DanielsT-shirt Jack Daniels
Bando de bebum assumidas! Ou bando de menininha que nunca bebeu um copo de cerveja, nem imagina o gosto que tem Jack Daniels, quer se pagar de rebelde, compra a camiseta e ainda corta o lado todo dela, pra ser mais vida loca ainda! Eu achava muuuito legal, até tornar-se modinha entre esse tipo de menina. Moda precisa ser combinada com atitude minha gente! É a mesma coisa que ver a Miley Cyrus usando um vestido de Barbie nos dias atuais. Ahhh e só mais uma coisa, quanto a Jack Daniels ta te pagando pela publicidade?

Short rendadoShort rendado
Ou mais conhecido como short capa de botijão. kkkkkk Quando eu vi a montagem no facebook, eu chorei de rir. É a tal da peça que eu teria comprado se eu não controlasse meu eu interior consumista. Amo renda, amo vintage, amo cintura alta. Mas a galera quer botar renda demais em peça de menos. Já diz a velha sabedoria chinesa – mentira isso aí, sei lá quem diz, mas é verdade – tudo que é demais, fica feio! Outra peça que tá vendendo na feirinha de Aparecida por 20 conto e os botijãozinho estão saindo de lá todos uniformizados. Pior, a moda surgiu com o short soltinho, larguinho. Popularizou e o short encolheu, perdeu 10 cm e virou hot-pant!

T-shirt quadrinhosT-shirt de gibi
Alô galera que saiu das páginas de quadrinhos, tamu junto! Essa moda eu também usei e continuo achando fofa nas camisetas. Todo mundo resolveu aflorar o lado infantil, fazer uma homenagem ao Maurício de Sousa e usar as famosas interjeições dos quadrinhos nas ruas. (Eu sei que ele não tem nada a ver com a estampa que deu origem à moda) O problema maior é a popularização da estampa, que agora tá nas leggings e saias também. Aí a pessoa acha que não tá bom de gibi no corpo e combina a legging, com a T-shirt e um blazer estampado. Jesus amado das histórias em quadrinhos, guarda os desenhos pras páginas, que em excesso por aqui, não tá bom não!

short quadriculadoShort quadriculado com lacinho amarelo
Não pode esquecer o lacinho amarelo, ele que dá a bossa! Essa moda surgiu assim que as calças listradas saíram de cena. Eu gostei e ainda gosto. A galera está pronta pra jogar uma partida de xadrez em qualquer lugar! Não, pera! Jajá lançam uma estampa de cavalo pra camisetas, só escreve! 

Boné john johnBoné John John
Foi tão usado que ganhou até versões bizarras no Brasil: Boné Jão Jão. O boné é bonito, o clássico branco e preto mais ainda. O problema são as falsificações, que acabam estragando até com os originais. Mas é uma moda que eu ainda acho bonita, não usei, mas ainda quero usar! Mas pra ser exclusiva vou mandar fazer um: Maria Maria, mais feminino e brasileiro, não há!

 

Em nota: Ainda não citei as batas de renda guipir, elas continuarão a serem usadas no início de 2014, para o desespero da Patrícia Bonaldi e da Lethícia Bronstein. 
Em nota 2: Esse post foi para descontrair, a maioria dessas modas já passaram e muitas delas inclusive eu usei. Não se sinta ofendido ou coisa parecida por tê-las usado!

Eu voltei…

E agora é pra ficar, porque aqui, aqui é o meu lugaaaar… (8) Comecei a escrever o post cantando sim e a sorte é que isso é um blog e não vlog, garanto que espantaria mais da metade do pessoal que acompanha o blog!

Afastada por quase um mês, numa correria inenarrável, tive que fazer escolhas difíceis, mudança de trabalho, mudança de ambientes, final de semestre, novos projetos e novos projetos FODAS! Estou me aventurando por ilhas antes desconhecidas para mim, mas que estão me encantando dia após dia… Nas primeiras semanas de janeiro eu apareço com fotos aqui e garanto que vocês vão amar.

Quanto aos dias que passaram, nada melhor do que fotos e vídeos para falarem por mim, certo? Clique nas fotos para ler na legenda de cada foto um pouquinho do que aconteceu nesses dias…

Em resumo foi isso! Espero dar conta de tudo e não abandonar mais vocês! Juro que nem que seja um oi e uma #selfie eu postarei todos os dias! E faltam 11 dias para o nascimento da Malu, a foto dela sairá em primeira mão aqui no blog, dia 23 de dezembro… Será que estou ansiosa? Até amanhã galerinha!!

O clube da Luluzinha numa versão tecnológica

Eu nunca fui a última romântica, sempre gostei de escrever cartas de amor, mas nunca quis um amor meloso. Eu sempre fui apaixonada pelo vintage, mas nunca esperei um amor à moda antiga. Eu nunca chorei com filmes de romance, costumava dormir, mas sempre gostei desse jogo de conquista, que dure minutos, horas, dias e até meses…

Esse fim de semana, um aplicativo me fez – e fez o mundo – perceber que esse jogo de conquista, essa coisa gostosa de conhecer o outro, parece que ficou no passado. O Lulu, chamado de “a vingança das mulheres”, foi o app mais comentado do fim de semana e ganhou destaque em vários blogs. 

IMG_4090

Imagine uma mesa de bar, um grupo de amigos – todos homens – bebendo uma cerveja ao fim do dia e tratando do seu assunto preferido: mulheres. Surgem os mais diversos comentários, sobre a menina que está a fim, amigas, ficantes, ex e até mesmo parentes. As qualidades são exploradas, mas os defeitos também são colocados à mesa, e muitos vão fundo nos defeitos…

Agora, mude o sexo de toda a situação, só que sem exposição alguma, sem sair de casa e sem se identificar para falar de algum carinha que está a fim, amigo, ficante, ex ou parente. Eis aí o Lulu.

Um aplicativo de “avaliação de homens”. Privado, só mulheres entram, tipo um clube da luluzinha numa versão tecnológica.

Baixei o aplicativo e minha primeira reação, foi o riso. De cara já vi o perfil de um amigo, que estava com nota 8,6 e definido com a #AchaQueOMundoGiraAoSeuRedor… Ele realmente é mimado e a # era verdadeira. O riso seguiu ao ler demais definições. Coisas que fui saber sobre amigos meus depois de meses, ou anos de convivência, explanados em algumas poucas #… Outras coisas que jamais imaginei – e nem queria – saber. Ao chegar nas # classificadas como “piores”, vi que meu feminismo é um fio de cabelo, fiquei indignada com meninas, que mal conhecem os caras, lançando # do tipo “Toca Vuvuzela”. Pra quê isso?

Entrei em alguns perfis e meninas colocando #NemSabeQueEuExisto e colocando ao mesmo tempo, dezenas de #, tanto boas, quanto ruins. Contraditório, não? Se o cara não sabe nem que você existe, presume-se que não sejam amigos e que muito menosIMG_4070 você saiba grandes coisas dele, a ponto de o “classifica-lo”.

Comecei a abrir o perfil dos meus amigos mais próximos, a printar e enviar para eles. Sou uma traidora do movimento feminista que deseja vingar-se dos homens, os classificando pelas costas.

Tem muita recalcada que levou um pé na bunda de garotos aí, detonando eles no Lulu. Assim como está cheio de menininha apaixonada, que nunca conversou com o cara, enchendo de # idealizada e baseadas num achismo banal. Falo isso, principalmente a respeito dos meus amigos “famosinhos de banda”.

O aplicativo serviu para eu rir por algumas horas, mas para conhecer algum dos homens do meu facebook com perfil lá, jamais.

No momento, o aplicativo está fora do ar por sobrecarga. É o app mais baixado da App Store. Curiosidade? Antes seja.

IMG_4072Às mulheres, minhas considerações finais:

  1. Se você quer conhecer alguém, não vá pela impressão dos outros, elas podem te decepcionar, prefira o bom e velho papo a dois, ele pode te render surpresas mais gostosas do que espera.
  2. Se você tem algum amigo, ficante, ex ou alguém que queira avaliar, faz isso pra ele, garanto que pode render um papo legal você dizer a ele suas qualidades e defeitos.
  3. Você não precisa esculachar um ex, se é ex, deixa ele ser feliz e vai fazer o mesmo!
  4. #TeAmoMeCome não fará nenhum homem se apaixonar por você… Onde foram parar seu respeito e valor?
  5. Feminismo e Machismo, andam de mãos dadas, quanto mais você se achar o sexo forte, mais sozinha estará, depois não adianta dizer que homem é tudo igual.

Faz parte dos pequenos prazeres de um romance, a descoberta do outro. Troca a avaliação no Lulu por um sorvete na pracinha da esquina com o carinha que você está a fim, garanto que o papo vai te reservar surpresas e ser muito mais interessante do que uma #TrêsPernas.

Mais um ano que se vai…

Os 19 ficaram para trás marcados por um ano maravilhoso. Um ano onde decidi jogar tudo para o alto e arriscar, viver sonhos e sonhar uma realidade ontem ainda tão distante.

Numa retrospectiva mental daquele 21 de novembro de 2012 até ontem, dias marcantes vêem à mente. O dia que vim em definitivo para Cachoeira, por exemplo, acompanhada pela lua, a lágrima teimava em cair na escuridão do ônibus. Não eram lágrimas de tristeza nem de dor, mas lágrimas de quem já sentia saudade do passado que deixava para trás.

O primeiro dia na faculdade de Jornalismo, o nariz empinado e os paradigmas de quem saía de uma Universidade Estadual que aos poucos caíram por terra, me rendi ao sorriso encantador de professores que me fizeram voltar a aprender mais que uma profissão, me fizeram aprender para a vida, me rendi ao carinho de colegas que pouco a pouco tornaram-se amigos.

O primeiro dia de trabalho, a primeira matéria, a primeira entrevista, a primeira revista. O primeiro novo dia de trabalho, a primeira sessão na câmara. As primeiras experiências que ficarão para sempre.

A descoberta de um amor por alguém que sequer conhecia seus traços, nem ao menos sabia se seria ele ou ela, mas no meu peito já transbordava um amor incondicional.

A Jornada, o reencontro com velhos amigos marcelinos e as novas amizades marcelinas feitas. As lembranças dos encontros e a sensação indescritível de estar há menos de 2 metros do Papa. De acompanhar junto com as grandes mídias, conhecer grandes nomes da imprensa nacional e internacional.

Mas nem todos os dias foram de risos, houveram os dias de choro, mas cada choro seguido de um aprendizado e uma cabeça erguida, pronta para enfrentar novos leões: os dias de molho com dengue, os cuidados dos amigos. O dia do término do namoro, a sensação de perca do chão, os dias de olhos inchados que me fizeram amadurecer e crescer. Com o fim, a descoberta de que mais que um namorado, eu tive um amigo ao meu lado e sempre o terei.

Os dias em que fui surpreendida, o show do NX assistido do palco acompanhado de horas de conversa com o Diego e um abraço afetuoso. As pessoas que conheci, as que já conhecia e passei a amar, as que me decepcionei e as que me encantei. As bandas novas que conheci e fiz amizade, as b-bands que me apaixonei.

A visita de um amigo vindo do Paraná só para estar comigo. As amizades que se consolidaram num momento de dor. As amizades inesperadas, que hoje já são indispensáveis.

O choro calado pelo travesseiro, de saudade de casa, de medo do futuro, de insegurança e incertezas. De vontade de voltar correndo para o Paraná e ficar sob as asas de quem sempre lutou por mim e me protegeu. Mas a cabeça erguida de quem corre atrás de um sonho e força de quem sabe que para vencer, é preciso lutar.

Por fim, o carinho e o cuidado de duas amigas que se tornaram irmãs. E a loucura de quem coloca algo na cabeça e vai atrás.

Muitos outros momentos ficaram marcados, mas alongariam por mais parágrafos e parágrafos esse texto. Dos 19, nenhum arrependimento, nenhuma vontade de voltar atrás. Foi um ano intenso e lindo. E sabe por que? Porque eu decidi viver e não esperar a vida passar. Decidi correr atrás de tudo que desejo e não deixar me acomodar.

Não havia melhor forma de terminar os 19 e começar os 20, se não, seguindo mais uma vez atrás de algo que decidi que me faria feliz. O dia ontem, resumiu o que foi esse ano incrível.

Coincidentemente, li isso num texto hoje: “pensar duas vezes é a distância entre os que sonham e os que vivem.” Aos vinte, eu escolhi viver, ser intensa, me arriscar e quebrar a cara. Os dias ruins todo mundo tem, não vou me acomodar para os evitar, a vida me ensinou a lutar e nunca desistir, se me fizer feliz por um momento, já terá valido a pena.

Essa é a graça de viver. Ser feliz com pequenos momentos. Querer prolongar a felicidade evitando correr riscos, é o maior risco que se corre de ser infeliz. Aos vinte, eu espero te encontrar por aí, vivendo!

O chá da MaLu em detalhes

Aconteceu ontem (15), a primeira festinha da nossa princesinha. O chá de bebê da Malu foi no Rotary clube da cidade e reuniu a família, amigas da mamãe e da vovó.

Cada detalhe da festinha foi pensado por mim e pela mamãe babona. Vinte anos depois, a mãe está parecendo mãe de primeira viagem novamente e foi inclusive, fazer um curso de organização de eventos, para planejar direitinho os festinhas da Malu – tem tempo, né?. DSCF5168

A festa foi toda em tons de rosa bebê e branco, fugindo do clichê atual de rosa e marrom, o que foi um desafio, já que quase todos os itens, encontrávamos nas tais cores e quase nada em rosa e branco.

Todos os itens foram personalizados com tags de ursinhos com as iniciais da MaLu. Mamadeiras com guloseimas, bisnaguinha de brigadeiro, cupcakes, garrafinhas de refrigerante, água, copinhos de mousse e até mesmo as forminhas de doces foram personalizadas. Os doces personalizados e deliciosos da Eliane, vieram da cidade vizinha para fazer sucesso por aqui – para as pessoas da região, eu recomendo, os doces dela são os melhores daqui.

O buffet foi um verdadeiro chá da tarde: biscoitinhos, bolos, tortas, canapés, salgadinhos, chá e suco foram servidos aos convidados.

Confira as fotos:

A festa foi linda e todos os convidados saíram satisfeitos e já esperando pelo chá de apresentação da Malu e a festa de 1 aninho. Como falei no twitter, foi a prova do quanto essa neném vai ser mimada pela mamãe, irmã e vovó.